Também preciso de um milagre

“Um diário de preces” de Flannery O’Connor é um livro pequeno com textos dirigidos a Deus, que me parecem profundamente ateus. Flannery é católica fervorosa mas parece nunca acreditar suficientemente em Deus, e é nessa dúvida, nessa falta de merecimento que tanto a incomoda que vive intensamente a religião. Revejo-me nos textos como num espelho apesar de não acreditar em Deus, e isso é estranho e reconfortante ao mesmo tempo.

“Oh, senhor, o que eu digo é que neste momento sou um queijo, faz de mim uma mística, imediatamente. A verdade é que Deus é capaz disso — é capaz de converter queijos em místicos.”

Só que não o faz.

Anúncios