Gourmet

Passado nos anos 90, antes da gourmetização low cost, do 11 de setembro, da gentrificação de NY, do boom das opiniões self-service online. Um livro sobre o meu mundo*. Muito fixe e muito bom para distrair a cabeça de coisas sérias.

(Obrigada Mariana)
*há cerca de 16 anos desenvolvi uma teoria que o mundo acabou a 31 de dezembro de 1999, que o bug do milénio aconteceu e que acabou com a humanidade como a conhecíamos e que isto que vivemos agora é uma realidade pós-apocalíptica tipo alucinação colectiva. Sempre que leio algo passado nos anos 90 tenho saudades daquela merda. Não se inventou nada de novo verdadeiramente interessante desde então (é aqui que vocês entram a dar-me na cabeça e como o mundo é muito melhor agora porque… inserir cena que não havia nos anos 90…) Este já não é o meu tempo, é triste ter deixado de o ser quando eu tinha apenas 20 anos. O que farei ao resto da vida, sinceramente não sei.

Indisciplina

Bem sei que queria acabar de ler os livros que tenho a meio antes de começar outros, mas não dá. Chegou-me ontem este pelo correio e peguei logo nele. Sim, já está todo orelhado (amo paperbacks ranhosos impressos em papel higiénico). Vou a meio.

FullSizeRender

Nunca li nenhum livro do Stephen King. Dos filmes e séries feitos a partir dos livros dele que vi até hoje, gostei de todos. Até  Especialmente os mauzitos, como os Langoliers. Não sei porque nunca li nenhum livro do Stephen King (como se percebe pelo título, este não é o livro típico do Stephen King, por isso, estar a lê-lo, não significa que a partir de hoje eu possa dizer que já li um livro do Stephen King).

Este deve ser um dos melhores livros que li sobre o ofício da escrita. Stephen King é prático e gentil, encorajador mas sem bullshit. Agora vou ler o resto.