Prolongando a temática

Andava eu a passear no google quando encontrei a seguinte imagem:

96788A33-3291-4AE9-86EF-041189A7D0E8

Achei tão lindo que não pude deixar de pensar como os homens devem ser infelizes por não terem gamas de produtos inteiramente dedicadas às abluções da genitália. Mas eu estou cá para vos ajudar, garbosos varões.

banana

Lembrei-me de colmatar essa grande falha na oferta cosmético-farmacêutica, desenvolvendo uma linha de produtos para a higiene íntima masculina, baseados nos existentes para mulheres.

gama

Espero que gostem e a partir de agora se sintam mais limpos e frescos a qualquer hora e em qualquer lugar.

(se clicarem na imagem podem ler as letras pequeninas, vale a pena, juro que não inventei nada, copiei tudo de embalagens que existem para mulheres)

Anúncios

Diário #20151127

Ontem, enquanto conduzia de regresso a casa, descobri um novo dispositivo narrativo. Entusiasmada, enquanto estacionava de  marcha-atrás, bati com o pára-choques num candeeiro. Não fez grande mossa, o candeeiro estava parado. Não deve valer grande coisa, este novo dispositivo narrativo.

Tachos e panelinhas

Está tudo em choque porque o ex-presidente da câmara de Lisboa virou ministro da cultura mas quanto ao ex-secretário de estado da cultura que virou cozinheiro ninguém diz nada.

O que vale é que os meios justificam os fins

Acabei o terceiro da Ferrante no mesmo dia que em que acabei a última série de Mad Men. Ferrante há mais lá para Janeiro, Mad Men não. O que eu gostei daquela série, caraças, mas os dois últimos episódios foram muito maus, o fim, o mais banal possível. Estou mal habituada, estava à espera de um final como o do Six Feet Under ou dos Sopranos. Foi melhor assim, nem fiquei triste daquilo acabar.

Pensando bem, a melhor coisinha que ando a ver é o Shameless (o americano, nunca vi o inglês). Camadas e camadas e camadas, vísceras, desconforto, combustível para a tola, sem ser aquelas tretas liberaloidó-condescendentes do Sorkin ou a Sartró-Cajun-xaropada de fumaça-pseudo-intelectual que é o True Detective (só vi a primeira série, poupem-me). O Shameless é para adultos, mas não por causa do sex, drugs & rock n’ roll. O Shameless é para adultos porque é preciso ter maturidade para absorver as implicações daquilo até ao tutano.